Menu >> Início | Quem somos | Catálogo | Comprar | Download de textos | Notícias | Contato

Assunto: Revista de Interpretação Bíblica Latino-Americana
Autores: Equipe Coordenadora: Ribla Brasil
Formato: 16x23
Número de páginas: 192
Editora: Nhanduti Editora 2015
ISSN: 16763394
Compre no Brasil / Compre fora do Brasil
Riblas: 64+68+63+67: R$179,00: Compre
Riblas: 64+68+62+67: R$179,00: Compre
Riblas: 64+68+62+63: R$ 185,00: Compre
Riblas: 64+62+63+67: R$ 179,00: Compre
Riblas: 64+68+62+63+67: R$ 229,00: Compre
Riblas: 64+68+63: R$ 139,00: Compre
Riblas: 64+63: R$ 96,00: Compre
Riblas: 64+62: R$ 97,00: Compre
Riblas: 64+67: R$ 95,00: Compre
Riblas: 64+68: R$ 96,00: Compre
Riblas: 64+68+67: R$ 139,00: Compre
Riblas: 64+63+62: R$ 138,00: Compre
Riblas: 64+63+67: R$ 138,00: Compre
Riblas: 64+62+67: R$ 139,00: Compre
Riblas: 64+68+62: R$ 139,00: Compre
Compre diferentes números da Ribla com desconto:
Olhe para dentro do livro

RIBLA 64: O Evangelho segundo Marcos

Português | Español | English
R$ 56,00

ResumResumos dos artigos

Ivoni Richter Reimer
“Não vos atemorizeis” (Mc 16,6)
Visão geral e perspectivas interpretativas

O artigo apresenta uma introdução ao Evangelho “Marcos”. Elabora questões gerais sobre o movimento de Jesus e primeiras comunidades que lhe deram continuidade e dentro das quais o Evangelho foi composto. Registra hipóteses sobre lugar, datação, fontes e autoria. Defende que o Evangelho é simultaneamente uma narrativa organizada acerca de memórias a respeito da práxis de Jesus e de realidades vividas pela(s) própria(s) comunidade(s). Coloca perspectivas e chaves interpretativas socioeconô-micas e de gênero para análise de conteúdo e oferece uma estrutura detalhada do Evangelho.

Leif E. Vaage
O Evangelho de Marcos
Gênero literário, problema sinótico e descobertas a partir de textos comuns com a Fonte Q

O presente artigo aborda três aspectos “técnicos” do Evangelho de Marcos: o gênero literário; a chamada Questão Sinótica ou porque o mais provável é que o Evangelho de Marcos tenha sido escrito primeiro e que depois outros dois evangelistas, Mateus e Lucas, o tenham utilizado como fonte literária independente; e o que se descobre comparando os textos que o Evangelho de Marcos compartilha com a Fonte Q.

Archibald Mulford Woodruff †
A Galileia como chave de leitura para Marcos
A Galileia é um dos temas centrais do Evangelho de Marcos, algo que, no passado, já foi comentado bastante por Marxsen. Nos anos mais recentes, houve um surto de pesquisas arqueológicas e históricas sobre a Galileia. Este artigo explora o tema de novo, demonstrando que o que foi dito antes sobre a Galileia em Marcos é compatível com os resultados das novas pesquisas, se não sair fortalecido. De passagem será também apresentada uma nova proposta sobre o Abominável de Desolação.

Francisco Reyes Archila
“Ao clarear da manhã”
Uma leitura do Evangelho de Marcos na perspectiva da masculinidade

Desejo colocar a tese que queremos desenvolver nestas páginas da seguinte maneira: ao questionar os imaginários sobre o messianismo Jesus, no Evangelho de Marcos, põe-se em questão os imaginários de masculinidade intrínsecos à imagem do Messias. Para realizá-lo pretendo, primeiramente, situar-me a partir da minha própria experiência como homem, colocando ênfase nesse processo lento, doloroso e libertador pela qual nós homens temos que passar se queremos viver uma masculinidade diferente da que foi socialmente instituída como dominante. Depois pretendo colocar-me na masculinidade desde a perspectiva dos imaginários sociais, o que me permitirá vê-la como uma construção imaginária socialmente instituída, tanto na época em que os Evangelhos foram escritos como nos dias de hoje. Com estas perspectivas e ferramentas vamos analisar tanto o conjunto do Evangelho de Marcos como alguns textos específicos, com um duplo objetivo: primeiro, desvelar e avaliar esse imaginário instituído sobre a masculinidade, sem o qual não é possível compreender as palavras e as ações de Jesus, tal como apresentadas em Marcos. E, segundo, indicar algumas pistas que nos permitam fundamentar a possibilidade de outra masculinidade, mais humana e libertadora.

Luigi Schiavo e Valmor da Silva
Hipóteses interpretativas dos milagres em Marcos
Os milagres são de grande importância na compreensão do Jesus Histórico. Este estudo analisa as várias hipóteses de explicação dos milagres de Jesus em Marcos, pelos quais os primeiros discípulos manifestaram sua compreensão acerca do evento histórico relativo à figura de Jesus de Nazaré, até considerá-lo o messias divino.

Sandra Nancy Mansilla
Marcos
Conflito, memória e relato

Este artigo propõe o conflito como chave de leitura do Evangelho de Marcos que possibilita articular o processo de elaboração de uma memória coletiva violentada com a produção de um relato testemunhal.

Monika Ottermann
A Família de Jesus e a Família de Cristo
segundo o Evangelho criado por Marcos e com particular atenção para as irmãs

Este artigo parte da caracterização de discípulos/as como a “verdadeira” família de Jesus (Mc 3,31-35). Na primeira parte, apresenta notícias sobre parentes de sangue de Jesus e seus aspectos teológico-ideológicos. Na segunda parte volta-se para algumas mulheres mencionadas no Evangelho de Marcos e as interpreta como “irmãs” de Jesus, ou seja, como suas discípulas em diferentes contextos de missão: discípulas itinerantes (Mc 15,40-41 – as “mulheres no pé da cruz”), discípulas que lideravam comunidades em Israel (Mc 1,29-31 – a “sogra de Pedro”) e discípulas que missionavam fora de Israel (Mc 8,24-30 – a “mulher sirofenícia”). A análise feminista desses textos e contextos e de suas interpretações visa fortalecer uma compreensão e realização mais justas e igualitárias do seguimento e discipulado entre nós hoje.

Osvaldo Vena
O discipulado do Filho do Homem:
o modelo cristológico de Marcos para uma comunidade que sofre

Este artigo pesquisa a possibilidade de encontrar no Evangelho de Marcos uma maneira alternativa de entender Jesus, reconhecendo que o discipulado é o motivo central deste Evangelho. Este trabalho inverte o assunto em questão ao fazer de Jesus, e não outra pessoa, o discípulo ideal do Reino de Deus. Como tal, Jesus é quem chama as pessoas a um co-discipulado com o propósito de construir uma nova realidade que ele, como Filho do Homem e representante da comunidade, veio anunciar e implementar. O argumento assume que a situação da comunidade marcana é fundamental para a interpretação sugerida.

Juan Bosco Monroy Campero
Vida – Morte, Fome – Opulência
Jesus, o povo e os poderosos
O artigo convida-nos a considerar seriamente nossa própria imagem de Jesus. Quem é Jesus? A partir do capítulo 6 do Evangelho de Marcos, encontramo-nos num contexto real vivido pelo povo no tempo de Jesus e no tempo da comunidade cristã que está por trás da produção do Evangelho. Um contexto com realidades de vida e morte – vida para alguns e morte para outros. Contexto de opulência e luxo frente à fome e à necessidade, opulência e luxo para alguns poucos e fome e necessidade para a maioria. Além disso, morte, fome, exclusão, necessidade das maiorias – causadas pela riqueza e vida, pelo luxo, pela exclusividade e propriedade das minorias. Um contexto com atores sociais que intervêm nele e são responsáveis por ele, que causam sofrimento, provocando e padecendo, assumindo ou evitando. Um destes agentes é Jesus, mas: Quem é? O que faz? Como intervém? Que proposta tem diante disso? Em consequência somos convidados a rever e, se necessário, modificar nossa fé em Jesus, assumindo as consequências.

César Moya
Entre figueiras e pombas
Análise e releitura de Marcos 11,15-19 em perspectiva ecológica

Ler os textos do Novo Testamento, em especial os Evangelhos, numa perspectiva ecológica é um processo ainda em construção. Este artigo faz parte desse processo. O presente estudo de Mc 11,15-19 oferece uma análise e leitura em perspectiva ecológica, tomando como chave de interpretação as pombas e a figueira, já que aparecem como elementos da criação que são vítimas das ações destrutivas contra elas e que afetam diretamente os pobres. A análise segue o procedimento clássico da exegese – sem ser exaustivo – que nos ajuda a nos localizarmos no texto e confirmar a suspeitada relação entre o templo e a casa – oikos – como lugar comum de elementos inter-relacionados que devem produzir vida plena. Nossa interpretação deixa como reflexão que as ações libertadoras levadas a cabo por Jesus no templo nos trazem luzes para a conscientização dos mais vulneráveis frente às injustiças contra eles mesmos e contra a natureza, assim como para ações de resistência e confrontação àqueles que pretendem ser os donos da criação.

Cristina Conti
Marcos
Paixão e ressurreição

Os relatos da paixão e ressurreição constituem o objetivo kerigmático em direção ao qual todo o Evangelho de Marcos aponta. Este artigo percorre esses relatos, explicando aspectos do contexto sociocultural da época de Jesus. Presta também uma especial atenção às questões de gênero e diversidade sexual, enfatizando o papel das mulheres nestes relatos.

Resenhas:
Keila Matos
O autor Richter Reimer, Ivoni. Milagre das mãos: curas e exorcismos de Jesus em seu contexto histórico-cultural

Sandra Nancy Mansilla
O autor Tamez, Elsa. As mulheres no movimento de Jesus, o Cristo

Tirsa Ventura Campusano
O autor Schiavo, Luigi. A invenção do Diabo. Quando o outro é o problema...