Menu >> Início | Quem somos | Catálogo | Comprar | Download de textos | Notícias | Contato

Título: El fuerte de Samaipata. Estudios arqueológicos
Assunto: História indígena e arqueologia das terras sulamericanas
Autores: Albert Meyers, Isabelle Combès (comp.)
Formato: 21x29
Número de páginas: 192
Editora: Museo de Historia
Asdnto: (UAGRM - Santa Cruz de la Sierra) 2015
ISBN: 9789995495916
Compre no Brasil / Compre fora do Brasil

Título: Introdução

Título: O sítio arqueológico de Samaipata está em 63º 43' 10"de longitude oeste e 18° 10' 30" de latitude sul, naquilo que foi considerado a fronteira do império inca com os povos das terras baixas, que eram muitas vezes em guerra e, portanto, em Collasuyo foi construída uma cadeia de fortes ao longo da fronteira; por exemplo: Incarracay, Incallajta, Oroncota, Inkapirka, Manchachi, Inkawasi, Condorhuas e outros.
Título: O monumento está localizado no departamento de Santa Cruz, província Florida, município Samipata, uns 7 km. do povoado do mesmo nome (Fig. 1). Em uma altitude de 1920 metros acima do nível do mar está localizada a maior obra cerimonial da arte rupestre da América Latina e do mundo: um bloco imponente e gigantesco da pedra arenosa de quartzo avermelhado muito quebradiço, esculpido em sua parte traseira (Fig 2, 3.).
Título: Apesar de seu caráter excepcional, o sítio arqueológico de Samaipata, conhecido como "El Fuerte", foi pouco estudado, e a mesma falta de informação levou a interpretações improváveis, se não totalmente fantasiosas. Apesar de mencionar o sítio desde o século XVI e de descrições detalhadas desde o final do século XVIII, os primeiros trabalhos arqueológicos científicas e sistemáticos datam apenas no final do século XX, com o Projeto de Investigação Arqueológica Samaipata (PIAS) criado sob o impulso da missão arqueológica alemã da Universidade de Bonn.
Título: As escavações realizadas, o estudo de fragmentos cerâmicos e o análise dos contextos estratigráficos e arquitetônicos realçadas pelos membros PIAS permitiram distinguir diferentes fases de ocupação e definir uma cronologia geral do sítio que mostra uma presença de culturas pré-incaicas, desde, pelo menos, os auges do Horizonte médio por volta do 1.000 anos d. C., seguidas por duas fases incaicas e até mesmo uma espanhola datada na segunda metade do século XVI.
Título: Os resultados das pesquisas arqueológicas foram publicadas em revistas especializadas foram objeto de teses de doutorado. No entanto, até hoje, não era possível ter acesso a uma compilação geral público em geral. Esta publicação tem a intenção de preencher a lacuna.
Título:  No início do livro, os principais membros da PIAS: Albert Meyers, Maria de los Angeles Muñoz, Javier Gonzalez e Cornelius Ulbert, fornecem uma breve descrição do sítio, de sua história e dos trabalho feitos nele. Em sequencia, reunindo os resultados de sua tese de doutorado, Rolando Marulanda oferece alguns elementos sobre a discussão e interpretação do sítio. A contribuição seguinte, feita por Albert Meyers, reúne em um único texto dois primeiros relatórios de camoañas arqueológicas realizadas pela Universidade de Bonn 1992-1996. 
Título: A continuacão vêm dois artigos de Józef Szykulski e María de los Ángeles Muñoz, respectivamente, que abordam alguns setores específicos do sítio: os setores 1 e 2 e a Kallanka. Sonia Aviles aborda o problema da preservação da Rocha Sagrada, exposta faz séculos à intempérie e à depredação humana. Finalmente, Albert Meyers propõe, com base nos resultados obtidos em Samaipata, uma releitura da periodização da cultura inca.
Título: O livro termina com um conto, publicado aqui pela primeira vez em espanhol. Seu autor é o grande pesquisador sueco Erlad Nordenskiöld, um pioneiro em estudos de Samaipata,... alertando para os caçadores de tesouro!
Título: Único em seu gênero, o sítio de Samaipata é também, desde 1998, Patrimônio Cultural da Humanidade. Uma herança frágil que ainda mantém muito de seus segredos, mas também revelou alguns deles para o conhecimento do nosso passado. A contribuir para este conhecimento é o objetivo desta compilação que oferece, pela primeira vez, um plano detalhado da rocha, susceptível de servir de base para pesquisas futuras.

Título: Sumário
Título:
Prólogo
Introducción

Albert Meyers, María de los Ángeles Muñoz, Javier Gonzalez y Cornelius Ulbert. “El fuerte” de Samaipata, Patrimonio de la Humanidad. Una breve descripción

Rolando Marulanda. La roca esculpida del Fuerte de Samaipata: elementos de discusión para un enfoque interpretativo

Albert Meyers. Los trabajos arqueológicos en “el Fuerte de Samaipata”, 1992-1996.

Józef Szykulski. Investigaciones en los Sectores 1 y 2

María de los Ángeles Muñoz C. Una mirada a Samaipata a través de su kallanca, símbolo de la arquitectura de poder inca

Sonia Victoria Avilés Loayza. La conservación de la Roca Sagrada de Samaipata

Albert Meyers. Hacia una periodización de la cultura inca: perspectivas desde Samaipata

Erland Nordenskiöld. El secreto de la Roca
Títu

Albert Meyers, Isabelle Combès (comp.)

El fuerte de Samaipata. Estudios arqueológicos

Português | Español | English | Polski | Deutsch
R$ 248,00