R$ 162,00
Compre no Brasil / Compre fora do Brasil
Título: Diversidad, interculturalidad y educación en Brasil y en Paraguay
Subtítulo: Problemas, experiencias y realidades
Assunto: Linguística, etnicidade, interculturalidade, práticas educacionais
Ano: 2010
Autor: José María Rodrigues (org.)
Apresentação: José María Rodrigues
Formato: 16x23
Número de páginas: 231
Editora: CEADUC
Edição: 1
ISBN: 9789995376277
Olhe para dentro
Português | Español | English
Menu >> Início | Quem somos | Catálogo | Comprar | Download de textos |Notícias | Fórum | Contato
Apresentação

A perspectiva intercultural da educação, que emerge de uma realidade onde a interação, complexa e de caráter multidimensional, ocorre entre indivíduos diferentes e de culturas díspares, visa desenvolver conceitos e estratégias educacionais que favoreçam a superação de conflitos, preconceitos, discriminações e exclusão social, gerados a partir da contraposção irracional de concepções ideológicas, e do emprego de mecanismos psicossociais e de fatores sociopolíticos, capazes de produzir racismo.

Por isso, a prática da educação intercultural implica uma mudança de paradigma, cujo ponto de partida é o outro e o diferente. Faz-se necessário, então, proporcionar uma educação na qual o individuo -independemente do grupo ao qual pertence, majoritário ou manoritário-, ao ser formado intelectualmente, possa desenvolver os seguintes aspectos: i) melhor compreensão das culturas nas sociedades modernas; ii) maior capacidade para comunicar-se com pessoas de culturas diferentes; iii) facilidade para participar na interação social, criadora de identidades e de sentido de pertença comum à humanidade, etc. Em resumo, o desenvolvimento de atitudes mais adaptadas ao contexto da diversidade cultural incide diretamente sobre a educação para a cidadania, visto que a educação intercultural articula-se, necessariamente, com a promoção de coesão social, igualdade de oportunidades e equidade, participação crítica na vida democrática e aceitação natural da diversidade cultural.

Nesse sentido, vários especialistas e grupos de pesquisa, espalhados pela geografía brasileira, têm buscado conceituar pedagógica e epistemologicamente a perspectiva intercultural da educação. Com o intuito de prover subsídios teórico-metodológicos para a formação de educadores e fazer avançar o conhecimento, seus âmbitos de estudos enfocara as relações entre grupos socioculturais, étnicos, de gênero, etc., nas práticas educativas escolares e nosmovimentos sociais, amparados pelos princípios conceituais de diversidade cultural e inclusão social.

No contexto educacional contemporâneo, pode-se afirmar que o Brasil goza de prestígio no cenário internacional, já que conta com consolidados grupos de pesquisas, que, devido a sua vasta produção científica sobre educação intercultural e temas afins, dentro e fora do Brasil, posicionam-se na vanguarda de um processo de inovação que arranca nos alvores dos tempos modernos e preconiza a inclusão da diversidade cultural e dos direitos dos povos indígenas em todas as iniciativas concernentes ao desenvolvimento social e econômico do MERCOSUL. Já o Paraguai, imerso em uma realidade lingüística sui generis -bilíngüismo diglóssico-, e herdeiro de uma língua aborígine -majoritária, porém minorizada no país-, que representa uma das culturas mais importantes da América, conseguiu manter viva, por cinco séculos, sua língua autóctone e os valores culturais que esta representa. Por isso, a implantação de políticas educacionais que revertam séculos de programas e projetos homogeneizantes, anuladores de identidades e diferenças étnicas no Paraguai, constitui um instigante desafio no campo da EIB.

Nesse sentido, e em consonância com o anteriormente exposto, propusemos a realização de um seminário sobre educação intercultural bilíngüe e educação indígena, com o objetivo de congregar instituições, pesquisadores e renomados especialistas, do Brasil e do Paraguai, em torno do tema supracitado, a fim de contribuir para a transformação de mentalidades, concepçóes e práticas estatais, e trocar experiéncias sobre os novos paradigmas legais e conceituais, que estáo possibilitando processos de democratizaçáo no Paraguai, e contribuindo para redução de desigualdades sociais no Brasil, ambos os fenômenos produzidos e reproduzidos pela exclusão de grupos sociais portadores de identidades contrastantes.

Este livro é, portanto, o resultado de um trabalho coletivo de reflexão, consolidado em uma rede acadêmica de pesquisa e de interlocução, reunida no I Seminário de Educação Intercultural Bilíngüe e Educação Indígena, realizado nos dias 21 e 22 de maio de 2009, no Teatro Tom Jobim da Embaixada do Brasil em Assunção. Almejamos, com este trabalho, promover a formação docente e o intercãmbio de conhecimientos entre pesquisadores e educadores interessados no campo da EIB e da educação indígena, assim como reafirmar o ideal de incluir socialmente, no Brasil e no Paraguai, um grande número de jovens e adultos excluídos dos processos de aprendizagem formal.

José María Rodrigues.

José Maria Rodrigues Rodrigues

Diversidad, Interculturalidad y Educación en Brasil y en Paraguay